Sábado, 30 de Maio de 2015

Gallaecia:- Lindoso/Ponte da Barca

 

 

 

 

 

NO RESCALDO DO XXIII ENCONTRO DE FOTÓGRAFOS E BLOGUES

(ALTO MINHO - TERRAS DO VEZ)

 

- LINDOSO, UMA DAS PORTAS DO PARQUE NACIONAL DA PENEDA-GERÊS (PNPG) -

 

01.- Lindoso.jpg

Qualquer publicação sobre Lindoso não pode deixar de passar sem falar sobre, pelo menos, 5 coisas: o seu castelo; o seu conjunto de espigueiros; a sua Igreja Matriz; o facto de ser uma das portas de entrada no Parque Nacional da Peneda-Gerês e a sua albufeira.

 

1º QUADRO - Castelo

 

02.- Lindoso.jpg

Trata-se de um monumento com funções defensivas. A sua importância estratégica tem a ver com a posição de fronteira, tendo-se distinguido nos conflitos militares com Castela, no século XII, aquando da consolidação da nossa nacionalidade, e nas guerras da Restauração, no século XVII, defendendo a portela da serra Amarela e o Vale de Cabril.

 

2º, 3º , 4º 5º e 6º QUADROS - Conjunto de espigueiros

 

03.- Lindoso.jpg

 Junto ao castelo existe uma eira composta por 50 espigueiros, [outros dizem 64, pois não os contámos] dos séculos XVII e XVIII. Trata-se de um aglomerado único (conjuntamente com o do Soajo) no país e de rara beleza. Cada espigueiro, também chamado canastro, caniço ou hôrreo, é de estrutura de pedra. A sua função é de secar o milho através das suas fissuras laterais

04.- Lindoso.jpg

ao mesmo tempo que impede a destruição do mesmo pelos roedores, através da elevação deste, porquanto, cada exemplar destes espigueiros, é apoiado em vários pilares, curtos, assentes na rocha e encimados por mós ou mesas.

05.- Lindoso.jpg

 Sobre elas repousa o espigueiro propriamente dito que tem cobertura de duas lajes de granito, unidas num ângulo obtuso,

06.- Lindoso.jpg

ornamentado no vértice com cruzes protetoras.

07.- Lindoso.jpg

Do castelo, e das suas seteiras ou vigias, podem ver-se os espigueiros enquadrados na sua envolvente.

 

7º QUADRO - Igreja Matriz

 

 

08.- Lindoso.jpg

(A Igreja Matriz é de construção simples, de origem romana, mas, infelizmente, está muito alterada por recentes remodelações.)

 

 

8º QUADRO - Porta do Lindoso do PNPG

 

09.- Lindoso.jpg

Trata-se de um equipamento e serviços, visto a partir do castelo, e cuja função é de receção e informação variada sobre o Parque Nacional da Peneda-Gerês a todos aqueles que o desejem visitar.

 

Todas estas quatro estruturas ou equipamentos estão muito perto umas das outras, ao alcance da vista desde o castelo.

 

9º QUADRO - Albufeira do Lindoso

 

10.- Lindoso.jpg

Aqui existe a barragem do Alto-Lindoso, com uma albufeira das águas do rio Lima, para a produção de energia elétrica. Esta obra foi projetada em 1983 e concluída em 1992.

 

Apresenta-se um vídeo em que, numa perspetiva aérea, e com um ângulo de 360 ̊ se pode apreciar todo este conjunto que acabámos de elencar.

 

 

espigueiro.jpg

 (Lindoso/Concelho de Ponte da Barca)

 


publicado por nona às 20:44
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 29 de Maio de 2015

Gallaecia:- Galiza - Celanova

 

 

 

NO RESCALDO DO XXIII ENCONTRO DE FOTÓGRAFOS E BLOGUES

(ALTO MINHO - TERRAS DO VEZ)

 

- PASSANDO POR CELANOVA (GALIZA) -

 

 

Vamos deixar aqui, em pequenos quadros, o que mais nos cativou na breve passagem por Celanova, Galiza.

 

1º QUADRO - Torre da Igreja do Convento de São Salvador (São Rosendo) e busto de Celso Ferreiro

2015 - XXIII Passeio Lumbudus (Celanova, Lindoso,

À entrada para a Praça Maior, vindos do lado da área conventual, destaca-se a torre sineira e do relógio da Igreja Conventual e um plinto com o busto de Celso Emilio Ferreiro Míguez, natural de Celanova, e que foi escritor e político.

 

2º QUADRO - Fachada Principal da Igreja Conventual de São Salvador (São Rosendo)

2015 - XXIII Passeio Lumbudus (Celanova, Lindoso,

Frontaria da Igreja Conventual. Tem ângulo curto para ser o mais amplamente abrangida e, ainda por cima, está rodeada de veículos estacionados, que lhe retiram parte do seu impacto.

 

3º QUADRO - Fonte

2015 - XXIII Passeio Lumbudus (Celanova, Lindoso,

Parece-nos ser de estilo barroco, tal como a Fachada Principal do Convento beneditino. Encontra-se na Praça Maior, em frente à Fachada Principal da Igreja do Convento.

 

4º QUADRO - Interior da Igreja do Convento Beneditino de São Salvador (São Rosendo)

2015 - XXIII Passeio Lumbudus (Celanova, Lindoso, Soajo e Arcos) (30)

Porque a Igreja Conventual às horas que passámos por Celanova estava fechada, por uma frincha da sua porta principal, tirámos esta foto. Quem, como nós, já lá por dentro andámos, numa outra ida a Celanova, aconselhamos, a quem for a Celanova, ou quem tenha ido e não a tenha visitado, que o faça. Façam uma visita guiada. É uma preciosidade.

 

Quem, por outro lado, for amante de História, e particularmente de História de Portugal, vai saber que este Convento esteve ligado à nossa história pátria. Por aqui passou e pernoitou a nossa rainha D. Filipa de Lencastre (Inglaterra), quando veio para casar com D. João I, o iniciador da dinastia de Avis.

 

Também no interior, mais propriamente nas traseiras do Convento, vale a pena ver a pequenina capela de S. Miguel, pré-romana, de influência moçárabe (ou visigótica [?]), e logo ao nascer do sol, nos dias 21 de março e 22 de setembro de cada ano, altura do equinócio, darmo-nos conta do bonito efeito solar que, da pequena janela (ou seteira), se observa - os raios solares desenhando a cruz grega.

 

5º QUADRO - Zimbório exterior da Igreja Conventual

2015 - XXIII Passeio Lumbudus (Celanova, Lindoso,

Celanova viveu, ao longo dos tempos, à sombra do seu convento. Digno de se ver por dentro e por fora é o seu zimbório, iluminando, cobrindo de luz, a partir do transepto, a igreja.

 

6º QUADRO - Outra perspetiva da Torre Conventual

2015 - XXIII Passeio Lumbudus (Celanova, Lindoso,

A torre sineira e do relógio vista a partir do claustro do Convento. Curiosidade é também ver no claustro dois relógios de sol: um, marcando as horas; o outro, os minutos.


publicado por nona às 18:34
link do post | comentar | favorito

Gallaecia - Pelas terras do Alto Tâmega e Barroso - Pela Montanha II

«VAGUEANDO» PELOS TRILHOS DAS ALDEIAS DA MONTANHA (NOGUEIRA)

 

PARTE II

(24.maio.2015)

 

19.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Num cruzamento de caminhos, este lindo arbusto de giesta florida.)

20.- Vagueando pela Montanha.jpg

(E, ao longo do caminho do planalto, com as giestas e os carvalhos a rodearem os campos de centeio,)

21.- Vagueando pela Montanha.jpg

(fomos encontrando flores silvestres,)

22.- Vagueando pela Montanha.jpg

(cujos nossos conhecimentos não dão para lhes chamar pelo nome próprio,)

23.- Vagueando pela Montanha.jpg

(mas duma beleza e delicadeza)

24.- Vagueando pela Montanha.jpg

(que nada fica a dever às que plantamos nos nossos jardins. Muito pelo contrário!)

25.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Mais um cruzamento de caminhos, completamento rodeados de giestas floridas, sob um céu azul, lindo!...)

26.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Ultrapassado mais um campo de semeadura de centeio,)

27.- Vagueando pela Montanha.jpg

(aparece-nos, à margem do carreiro, canteiros de cardos,)

28.- Vagueando pela Montanha.jpg

(com as borboletas ziguezagueando sobre eles.)

29.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Voltando à direita, em direção à povoação, que já se via ao longe, mais um campo de centeio.)

30.- Vagueando pela Montanha.jpg

(E, à margem de um campo lavrado, uma dedaleira.)

31.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Aproximámo-nos dela para a observar. Que lindo ramo!)

32.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Tardiamente, as nossas aldeãs e aldeões, da Montanha flaviense, despertaram para a vantagem do plantio do castanheiro, que agora labutam para que, a todo o custo, medrem.)

33.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Mas a Montanha é terra do carvalho, de lenha, de pedras tão antigas, em comunhão com o musgo.)

34.- Vagueando pela Montanha.jpg

(O sol apertava e, qualquer velho e minúsculo casebre, serve para uma pausa, de descanso, à sombra protetora da árvore que o guarda.)

 

Enquanto parávamos - eram 16 horas e 5 minutos - uma raposa, fugitiva e sorrateira, passa-nos à nossa frente, sem sequer termos tempo para dar um clique! Mas quem, a esta hora, a poderia esperar?...

 

Fazendo completo silêncio, sentimos ainda mais a natureza a «explodir» de vida: flora de mil cores, de odores e feitios, toda em verdadeira pujança; fauna, de um modo especial os passeriformes, em diferentes trinados e sinfonias, quais bandas ao desafio, nos coretos, em dias de festa ou romaria.

35.- Vagueando pela Montanha.jpg

(A aldeia aproximava-se e, num campo vasto de ervas, protegido pelos velhos carvalhos,)

36.- Vagueando pela Montanha.jpg

(uma bonita giesta branca, isolada, das poucas que encontrámos.)

37.- Vagueando pela Montanha.jpg

(E, num lameiro ao lado, a burra do ti Tónio.)

38.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Por um caminho, por onde tantas gerações com carros de bois, chiando, passaram, deixando bem vincadas as suas marcas das rodeiras, chegámos à aldeia.)

39.- Vagueando pela Montanha.jpg

(E, findo este vaguear, de cerca de duas horas e meia, por terras da montanha, num domingo de maio solarengo, aqui vos deixo o que de mais singelo, frágil e bonito encontrei, no final deste nosso caminhar, para vos oferecer.)


publicado por nona às 16:34
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 28 de Maio de 2015

Gallaecia:- Pelas terras do Alto Tâmega e Barroso - Pela Montanha I

 

 

 

«VAGUEANDO» PELOS TRILHOS DAS ALDEIAS DA MONTANHA (NOGUEIRA)

 

PARTE I

(24.maio.2015)

 

01.- Vagueando pela Montanha.jpg

(É este o país rural que temos - «enferrujado», a cair aos poucos,)

02.- Vagueando pela Montanha.jpg

(com janelas sem gentes, onde apenas assomam arbustos!)

03.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Foi daqui, deste largo, junto desta casa, que parti, vagueando, sem destino, pelos trilhos da nossa Montanha.)

04.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Mas Neca e Zeca não nos deixaram partir sem que primeiro lhes visse as suas crias de parrecos: uns, mais crescidos;)

05.- Vagueando pela Montanha.jpg

(outros, mais pequenos, sob o olhar ameaçador da mãe parreca, pronta a dar uma «bicada» a todos quanto dela e da sua cria se aproximasse.)

06.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Mais mansa era a mãe galinha com os seus filhotes, ainda que um pouco assustada com o intruso.)

07.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Mal saímos da povoação, seguimos por um, entre vários, carreiros, sob um bonito céu azul, ainda mais embelezado pelas nuvens que o povoavam,)

08.- Vagueando pela Montanha.jpg

(e, ora aqui, ora ali, ladeados de giestas floridas e carvalhos;) 

09.- Vagueando pela Montanha.jpg

(As flores amarelas das giestas fascinaram-nos.)

10.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Parámos para as observar de perto.)

11.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Saídos do giestal e do carvalhal, eis que nos aparecem terrenos cultivados de centeio, em plena maturação,)

12.- Vagueando pela Montanha.jpg

(sob a proteção constante dos carvalhais e giestais, com flores pelo meio,)

13.- Vagueando pela Montanha.jpg

(e aqui)

14.- Vagueando pela Montanha.jpg

(e ali, quadros de paisagem que nos fascinaram.)

15.- Vagueando pela Montanha.jpg

(Parámos, mais uma vez, para observarmos de perto a seara de centeio.)

16.- Vagueando pela Montanha.jpg

(E continuámos por caminhos muito idênticos, que se cruzavam incessantemente, e, com eles, deixámo-nos perder,)

17.- Vagueando pela Montanha.jpg

(estendendo-nos, à nossa passagem, esta passadeira de minúsculas flores, qual arroz que se deitam aos noivos em dia de casamento,)

18.- Vagueando pela Montanha.jpg

(vendo-nos, nelas, a nossa sombra refletida.)

Neste pára e arranca tinha-se passado mais de uma hora. Há que encontrar caminho para regressar à aldeia, nesta tarde de domingo, de fim de maio.


publicado por nona às 19:45
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 5 seguidores

.rádio

ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Outono Fotográfico - Desc...

. Reino Maravilhoso - Trás-...

. Reino Maravilhoso - Alto ...

. Reino Maravilhoso - Alto ...

. Reino Maravilhoso - Alto ...

. Reino Maravilhoso - Alto ...

. Por terras de Portugal: P...

. Por terras de Portugal - ...

. Por terras de Portugal - ...

. Reino Maravilhoso - Alto ...

.arquivos

. Novembro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Junho 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Maio 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Setembro 2012

. Agosto 2012

.a espreitar

online

.lumbudus

blog-logo
SAPO Blogs

.subscrever feeds